fbpx
Role para cima
© 2021. Aigen Soluções Digitais

Em um relacionamento sério com a internet

Por redação

27/04/2021, às 11:16h

internet

Ah, a internet… Que lugar gostoso. Ela, que há um tempo atrás, “só tinha mato”, é hoje em dia super desenvolvida e a cada dia, chega a mais e mais brasileiros, fazendo cada vez mais parte do mundo todo.

A internet quebrou muitas barreiras: conectou pessoas distantes e permitiu chamadas de vídeo, democratizou muitos conteúdos (para diversão, para estudos,…) e deu voz a todos os presentes na rede. Google, Whatsapp, Youtube, Instagram, Amazon, Netflix, Facebook, TikTok, o antigo Orkut, Spotify, Telegram, Linkedin, e-mails, bancos online e muito mais! Todos esses aplicativos e serviços só foram possíveis pelo uso da internet. E agora, simplesmente não imaginamos mais nossas vidas sem eles.

Muitas pessoas, através da internet, conseguiram seu lugar ao sol: o humorista Windersson Nunes cativou seu público postando vídeos no Youtube, as cantoras Adelle e Lily Allen conquistaram fama no MySpace, e até a Anitta usou da internet para começar a carreira: com um vídeo no Youtube, cantando um cover de outro artista, ela chamou a atenção.

Trazendo para mais perto…

Além disso, a internet auxilia na divulgação e ampliação do acesso a diversas notícias. Hoje em dia, quase que em tempo real, temos acesso ao que está acontecendo do outro lado do mundo. Isso faz com que estejamos sempre conectados e tenhamos acesso a diversas notícias que nos informam e aumentam nosso repertório para a vida, nosso conhecimento e nos capacitam para a tomada de decisões.

Com a internet, também, temos a possibilidade de estarmos muito mais ligados ao que nossos amigos e quem admiramos estão fazendo no momento. Isso nos conecta de uma maneira especial e podemos aprender e compartilhar diretamente com eles, mesmo que a distância física, econômica e social, por exemplo, seja gigantesca. Seja pelo Instagram, por exemplo, ou pelo Youtube, mesmo que distantes, temos a sensação de proximidade com aquele a quem escolhemos assistir, conversar, seguir e/ou nos conectar.

Mas existe também o outro lado…

Infelizmente, o mundo da internet não é feito somente de vantagens e pontos positivos. Com a conectividade e a rapidez de acessos e compartilhamento, muita coisa ruim também nasceu a partir dela. Como por exemplo, perfis e sites falsos, que enganam outras pessoas, seja por puro prazer ou para praticar crimes, como extorsão virtual. 

Estar a todo tempo conectado também nos traz um volume gigantesco de notícias, o que pode nos levar a exaustão ou ainda, nos levar a saber de maneira rasa sobre tudo e profunda sobre nada.

Outro ponto crítico que vem com a internet e o acesso a diversas notícias e pessoas é a comparação e a competição. Quantas vezes você já sentiu que não era bom o suficiente como aquela pessoa da internet, aquele perfil que você acompanha? Quantas vezes, ver notícias a respeito de outros países fez com que você menosprezasse o seu? Muitas pessoas desenvolvem o hábito de se comparar com aquilo que elas vêem nas telas e querem competir com isso. 

Esse processo de comparação e competição é muito comum nas redes e mídias sociais. Além de não ser saudável, devemos sempre nos lembrar de que aquilo não é real: é só um vislumbre da realidade, ou seja, é só um pedaço, o melhor pedaço da vida das pessoas, que elas mostram ali. Comparar e competir com elas é um erro, uma vez que você compara toda a sua vida, com os melhores momentos da vida de outra pessoa. O resultado é que você se sente menor que o outro, incapaz.

Além disso, a internet (e especialmente as mídias sociais) é muito utilizada como “analgésico” para as tarefas do nosso dia a dia. Isto é, depois de realizar uma tarefa complexa ou cansativa, geralmente temos o ímpeto de entrar em uma mídia social e casualmente rolar o feed. Se esse costume for feito de maneira consciente e controlada, não existe mal nenhum. Mas o que via de regra acontece é que quando fazemos isso, fazemos de maneira automática e perdemos a noção do tempo. Quando nos damos conta, já se passaram 15min, 30min, 1h ou mais.

O que podemos fazer, então?

Devemos nos lembrar sempre de que, assim como qualquer outra ferramenta, a internet por si só não é boa nem ruim. A internet é o que fazemos dela. Se você utilizá-la sem filtros e sem ter em mente de que tudo ali é apenas um pedaço da vida de alguém ou de algo, você pode se machucar. Mas, se manter isso em mente, pode extrair o melhor dos conteúdos que você consome na rede.

Lembre-se também de que a internet trouxe diversas vantagens, mas a vida acontece aqui fora. Não se esqueça de sempre guardar um tempo desconectado: a internet despeja um turbilhão de informações por minuto em cada um de nós e um tempo por dia longe dessas informações faz bem, até para que possamos digerir aquelas que já recebemos. 

Busque policiar seu tempo online e seja intencional no uso da internet: Quanto tempo você usa (intencional) e quanto tempo você gasta (automático) conectado? Comece a observar e depois, crie um plano de ação para mudar os pontos que não te agradaram.

Por fim, todo o texto pode ser resumido em uma frase simples, mas cheia de significado: a internet é um presente que devemos usar com sabedoria.

Postar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *